Como conseguir um crédito à habitação para estrangeiros em Portugal?

Crédito à habitação para estrangeiros em Portugal: Quais as diferenças?

Muitos cidadãos estrangeiros escolhem Portugal para investir, trabalhar, viver ou passar férias. Embora muitos tenham capitais próprios para investira compra de uma casa, outros recorrem ao financiamento bancário junto de bancos portugueses para adquirir a casa dos seus sonhos. Conheça as condições para aceder a um crédito à habitação para estrangeiros em Portugal.

Seja por motivos de trabalho, investimento ou lazer, a compra de casas em Portugal por cidadãos estrangeiros é uma tendência que tem dinamizado o mercado imobiliário nacional. O bom clima, os níveis de segurança, as boas infraestruturas, a proximidade de Portugal face aos principais centros financeiros da Europa, os elevados níveis de qualidade de vida (a preços acessíveis, quando comparados com outras geografias), estão entre os principais fatores de atração de investidores estrangeiros. Atento a estas tendências, o setor financeiro nacional disponibiliza soluções de crédito à habitação para estrangeiros em Portugal. Conheça os requisitos de acesso a estes empréstimos.

Crédito à habitação para estrangeiros em Portugal: Quais as diferenças?

O crédito à habitação para estrangeiros em Portugal é semelhante aos empréstimos para os cidadãos nacionais. No entanto, as condições são mais exigentes e o processo nem sempre é célere. E não é difícil perceber porquê. Se um cidadão estrangeiro, não residente em Portugal, falhar o pagamento das prestações do empréstimo e entrar numa situação de incumprimento, será mais difícil para o banco recuperar esses valores . Por essa razão, nestes empréstimos os prazos máximos de financiamento podem ser mais curtos (regra geral rondam os 30 anos) e a percentagem de financiamento ser mais baixa (oscilando entre os 60% e os 80% do valor ou da avaliação do imóvel).

Um outro aspeto que influencia as condições de financiamento é a própria nacionalidade do cidadão. Por exemplo, os cidadãos estrangeiros que sejam residentes na União Europeia, Reino Unido, Estados Unidos ou Canadá têm maiores probabilidades de conseguirem obter uma percentagem de financiamento superior face aos cidadãos residentes em outras regiões do globo.

A importância de ter o acompanhamento de um especialista que o apoia na comunicação com o banco

O facto de ser necessário o cruzamento de documentação portuguesa com a do país de residência dos cidadãos, de existir muitas vezes a barreira da língua e um desconhecimento sobre as formalidades necessárias para comprar casa em Portugal, levam que seja recomendável os cidadãos estrangeiros contarem com o apoio de especialistas financeiros credenciados em Portugal. Esse apoio pode fazer a diferença entre conseguir, ou não, a aprovação do banco ao pedido de crédito. Veja-se o seguinte exemplo:

Caso real

Um cidadão francês quis recentemente adquirir um imóvel para habitação própria e permanente em Portugal e contactou vários bancos para obter um financiamento de 550 mil euros para a aquisição de uma casa no valor de um milhão de euros. A resposta foi sempre negativa. Perante este cenário, este cidadão contactou a Twinkloo para apoiá-lo neste processo de negociação com os bancos. O crédito foi aprovado, tendo-se conseguido aumentar o valor de financiamento. “Dado que o cliente não falava português, fizemos a ponte com a seguradora para que os seguros necessários fossem contratados, salvaguardámos a emissão de guias de pagamento de impostos e pedimos ao banco que os limites de pagamentos fossem alterados, para que no dia da escritura não existissem problemas no pagamento de impostos”, explica Dina Raimundo, Diretora Geral, da Twinkloo.

Se é um cidadão estrangeiro e está a pensar em comprar casa em Portugal, conte com a Twinkloo para encontrar a solução de crédito à habitação mais adequada ao seu perfil.

LIGUEM-ME
GRÁTIS