Viver e trabalhar no interior de Portugal: quais são os incentivos?

Conheça os incentivos do Governo para viver e trabalhar no interior

Programas para trabalhar no interior do país

Para incentivar a mobilidade geográfica e dinamizar o mercado de trabalho do interior do país, o Governo criou diversos apoios para trabalhadores e empresas.

Emprego Interior MAIS

Esta medida prevê um apoio financeiro atribuído pelo IEFP que pode ir, na totalidade, até 4.827 euros para quem decidir residir e trabalhar num território ou numa cidade do interior. Além disso, contempla um valor para o agregado familiar que também se mude a título permanente e pode haver uma comparticipação dos custos associados ao transporte de bens. Este é apenas um dos incentivos para viver no interior de Portugal, que abrange trabalhadores por conta de outrem, mas também quem queira criar o próprio emprego.

+CO3SO Emprego Interior 

Direcionado para empresas, esta medida engloba a criação ou expansão de microempresas. Ou seja, envolve a criação de até três postos de trabalho e conta com um apoio de 1.900 euros por mês, até 36 meses, para cada trabalhador. No entanto, o valor pode aumentar em situações específicas, como empregar pessoas com condições especiais, entre outros casos.

Programa Regressar

Mais, os incentivos para viver no interior de Portugal também estão dirigidos a emigrantes. Assim, no caso de estar fora do país e regressar para trabalhar e residir no interior, o apoio contempla uma majoração dos incentivos anteriores.

Estágios profissionais

Também se prevê medidas para estágios profissionais. Desse modo, pretende-se que haja majorações tanto na comparticipação da bolsa de estágio do IEFP como para tornar o contrato de estágio num contrato sem termo.

Incentivos para viver no interior de Portugal

Pois bem, além dos incentivos ao trabalho, o Governo especifica outros programas que funcionam de forma articulada, no que concerne à habitação, para promover a sustentabilidade e a valorização do interior. Dessa forma, facilitam a mobilidade habitacional de famílias que sejam residentes em grandes cidades e que queiram viver no interior do país.

Habitar no Interior

Esta medida é um mecanismo facilitador no que toca à habitação, “para o desenvolvimento de redes de apoio locais e regionais”. Funcionará assim em articulação com o programa Chave na Mão.

Programa Chave na Mão

Através do Instituto de Habitação e Reabilitação Urbana, este programa disponibiliza habitações para arrendar ou a gestão do contrato de arrendamento.

Benefícios fiscais 

Além dos incentivos já mencionados, estão ainda contemplados benefícios fiscais para estudantes, famílias e empresas que queiram mudar-se para o interior de Portugal:

  • Incremento das despesas de educação dedutíveis em IRS se o estudante frequentar estabelecimentos de ensino situados no interior;
  • Ainda referente à formação, a possibilidade de contabilizar as rendas como despesas de educação;
  • Aumento do limite das deduções de encargos com arrendamento de imóveis para fins de habitação permanente, para o agregado familiar que se mude para o interior;
  • Taxa reduzida de IRC para as empresas;
  • Isenção ou redução de IMI e IMT nas aquisições de imóveis em áreas florestais.

Embora estas medidas tenham sido anunciadas antes da pandemia de COVID-19, este contexto pode ter ajudado. Afinal, com o teletrabalho, a mudança de ritmo, a adaptação das condições financeiras e a necessidade de isolamento das grandes urbes, muitas famílias perceberam que viver fora das cidades poderia ser tornar-se uma realidade. 
Pois bem, se decidir que este pode ser o seu caminho, na Twinkloo podemos ajudá-lo com todas as dúvidas que tenha sobre Crédito Habitação. Resta a pergunta: prefere campo ou praia?

LIGUEM-ME
GRÁTIS